• Valmor Rabelo

STARTUP – Um jeito novo de ser e agir ... nos negócios e na vida


As Startups vêm chamando a atenção de muita gente e com uma certa dose de glamour ficou cool dizer que “tenho uma Startup”.

Isso é bacana e positivo, por isso achei legal contribuir com algumas percepções.


As definições mais clássicas são: “uma organização temporária desenhada para encontrar um modelo de negócio replicável e escalável” Steve Blank, autor do livro ´Do Sonho à Realização´. Ou ainda, Startup é uma “instituição humana concebida para criar um novo produto ou serviço em condições de extrema incerteza”. Eric Ries, autor do livro ‘Lean startup’

Mas por trás desta frase existe algumas características que fazem uma Startup ser peculiarmente diferente de um negócio tradicional:


• Em geral são negócios iniciantes (nem sempre formalizados com CNPJ ainda) baseados em tecnologia/inovação e com alto potencial de crescimento.

• Surge a partir da identificação de um problema real e de grande relevância. São ideias ou

soluções inovadoras que impactam os atuais modelos.

• É uma organização projetada desde o início para ser grande e crescer rápido.

• Usa o erro como fonte de aprendizado. Precisam errar rápido para aprender rápido,

mudar rápido e se for o caso, quebrar rápido.

• Tem um time reduzido, complementar, talentoso e engajado no proposito de

impactar o mundo.

• Esse ímpeto jovial e de capacidade técnica cria um ambiente descontraído, uma cultura de

simplicidade e objetividade.

• As metodologias utilizadas pelas startups estão focadas a partir da visão e experiência do

cliente/usuário e pouco (quase nada) tem a ver com as teorias da Administração Clássica.


Passando o Mundo a Limpo


As startups estão passando o mundo a limpo, desmaterializando estruturas tradicionais, derretendo mercados e profissões. Whatsapp, Uber, Netflix, Airbnb, Nubank são apenas uma pontinha do que acontecerá também na Educação, Medicina, Direito, Indústria, Finanças, Logística e até Governo.

Engana-se quem pensa que Startup é um parque de diversões com jovens irreverentes e alheios à realidade. É bem verdade que o mundo que eles estão criando é (...ou será) bem diferente do que estamos habituados. Mas, o esforço destes jovens empreendedores é enorme e exige muuuiiiiito mais do que as 40h semanais.

A inovação é um processo de descoberta de caminhos nunca trilhados antes onde a curva de aprendizado tem que ser exponencialmente rápida.


Criar um produto inovador e achar alguém que pague por ele é uma jornada tal qual uma montanha russa - cheia de altos e baixos e loopings de tirar o fôlego – mas que ao final a sensação é tão energizante que se quer andar de novo.


O ambiente das Startups é recheado de termos e siglas que o cidadão tradicional precisa de

legenda pra entender “o que esses caras estão falando?”

BMG, Lean, Customer Development, MVP, Pivot, Crowdsourcing, Crowdfunding, Coworking, UX, CS,

CAC, LTV, OKR, Elevator Pitch, Investidor-Anjo, Bootstrapping, Aceleração, Unicórnio, Leads,

Métricas, Learning Machine, IoT, Open Inovation, Hackathon e Summits... Ufa!!!


A Geração@ e o jeito Startup de Ser


E esse jeito startup de agir nos negócios parece estar virando um estilo de vida. Essa turma conectada 24h está sincronizando sua vida profissional com a vida pessoal.

Tipo assim...#tudo junto ao mesmo tempo com todos do mundo inteiro o tempo todo, tá ligado?


Essa Geração@ valoriza a transparência e a tolerância. Tudo é intenso e volátil. A privacidade é um valor secundário em relação à sociabilidade generalizada.

O melhor projeto é o resultado de um aprendizado continuo visando o Bem Estar de todos. Quanto mais pessoas estiverem engajadas melhor.

Entendem que por menor que sejam eles se sentem pertencentes a algo maior. E a reputação, às vezes, tem muito mais valor do que o pagamento.


A Geração@ enxerga o mundo e os seres vivos de uma forma integrada, sistêmica e conectada a tudo e todos, sem distinção, divisão ou privilégios.

E esse comportamento se reflete cada vez mais nas convenções sociais, na família, na

religião e na politica.


No Brasil, onde ainda formamos universitários para os empregos do século passado, a Geração@ é a esperança de que viveremos num mundo de abundância de recursos e acessível a todos. Um mundo diferente e muito melhor. Eu acredito nessa galera!!!


Valmor Rabelo Filho - setembro 2018


0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo